Bridgit Claire Mendler não teve uma vida muito diferente da de outros astros da Disney. Nascida em 18 de dezembro de 1992, em Washington D.C., a capital norte-americana, desde cedo Bridgit já demonstrava gostar de artes. Mas, primeiramente, a criança loirinha, filha de Harry e Sandy, acabou se sensibilizando pela música.

Em entrevista ao site Kidzworld (maio de 2011), ela falou como iniciou-se: “Acho que escrevi minha primeira canção (era uma música de Natal para nossa igreja) quando eu tinha sete ou oito anos de idade. É a única de que me lembro. Eu me lembro de ficar cantarolando e escrevendo letras, criando melodias, e tentar escrevê-las quando eu era muito jovem. Mas, em termos de tentar compor músicas que as pessoas poderiam eventualmente ouvir, algum dia, acho que comecei aos 13 anos, quando comecei a mexer no piano, e, mais tarde, peguei a guitarra. É algo que eu sempre gostei, definitivamente, e posso fazer isso profissionalmente, agora.”

E não foi só aí que Bridgit demonstrou gosto pela música. Na entrevista ao site “Teen Television”, em abril de 2011, ela explicou sua relação com isso: “Eu sou aquele tipo de pessoa que fica cantando o tempo todo, inconscientemente. Realmente, não escondo isso muito bem. Eu fico cantando junto a música que está no rádio, e tudo o mais, inconscientemente. Eu simplesmente não me toco que estou fazendo isso.”

Mas, como se sabe, Bridgit também atua. E como isso começou? Foi aos 8 anos, quando a família Mendler (então já contando com um membro novo, Nick, o irmão caçula) mudou-se de Washington D.C. para Mill Valley, cidade na região de San Francisco: “Eu tinha 11 anos, quando fiz uma peça, no norte da Califórnia, e gostei muito. Daí, decidi que eu queria seguir carreira. Consegui um agente, e fiz comerciais, dublagens e coisas assim. Daí, decidi que ia levar isso a sério. Fui com meu agente para Los Angeles, e fiz uma ponta em ‘General Hospital’“.

Tinha início a carreira de atuação, que se iniciou com uma participação na animação “The legend of Buddha“, como Lucy, em 2004. Em 2006, a primeira participação na tevê, já mencionada, em “General Hospital“. E, no ano seguinte, a primeira participação numa produção da Disney: Pamela Jones, a antagonista da personagem interpretada por Alyson Stoner, em “Alice upside down” (Alice de cabeça para baixo).

Em 2008, Bridgit fez mais um filme: “The Clique” (Garotas S.A.). Sobre o seu personagem, Kristen Gregory, ela comentou: “Inicialmente, eu queria fazer o teste para Claire, porque adoro ser a garota boazinha. Não gosto que as pessoas pensem que eu sou malvada na vida real porque sou malvada na tela. Daí, me disseram para ler sobre Kristen, e havia algo naquelas falas que realmente fazia sentido para mim. Kristen se preocupava muito com a escola, e eu também, então ficou natural [pegar o papel].

Mas, se houve um ano em que Bridgit Mendler começou a aparecer a sério, foi 2009. Em filmes, ela apareceu com destaque em “Labor Pains” (Meu trabalho é um parto) e “Alvin and the chipmunks 2 – the squeakquel” (Alvin e os esquilos 2). Sobre este, ela falou, em março de 2010: “Foi bacana. Primeiro, eles fariam um ensaio da cena, com uns bonequinhos, que tinham o mesmo tamanho dos esquilos. Daí, eles os tirariam, e, durante a cena, enquanto gravavam, íamos ter de trabalhar sem nada. Daí, numa cena, Alvin segura meu dedo. Levou muito tempo para colocarem meu dedo exatamente no lugar certo. Foi bacana e muito complicado, mas super interessante.

Na tevê, Bridgit começou a virar uma cara conhecida no Disney Channel. Primeiramente, houve a entrada na série “Os feiticeiros de Waverly Place“, como Juliet (Julieta) van Heusen, vampira namorada de Justin (David Henrie), que seria recorrente até o final da série. Sobre as participações, mais uma vez, Bridgit elogiou: “Todos eles são pessoas muito divertidas e amigáveis, e foi ótimo encontrar os novos membros do elenco, bem como passar algum tempo com os outros.” Sem contar a participação que rendeu a reestreia de Bridgit na música: no episódio de estreia da série “J.O.N.A.S“, ela participou cantando “Give love a try”, com Nick Jonas.

E, em 2010, o próprio Disney Channel daria a ela a chance de voltar a cantar com mais frequência. Primeiramente, gravando “When she loved me”, da trilha sonora de “Toy Story“, no sétimo CD da série “Disneymania”. Sobre a oportunidade, ela descreveu, em março de 2010, ao site Shine on Media: “Eles me perguntaram o que eu queria fazer com a canção, e acho que concordamos que queríamos vê-la soando mais animada. Sugeri que a gente colocasse um violão nela, porque, originalmente, era uma canção só com um piano. Acho que eles fizeram uma nova mixagem, o que foi legal. Além disso, você tem de ser honesto com a canção.

Prestigiada, Bridgit voltou a aparecer nas trilhas sonoras de “Tinkerbell e o resgate da fada“, cantando “How to believe”, e, principalmente, na de “Beverly Hills Chihuahua 2“, com “This is my paradise”, composta por ela (“O que eu quis dizer é que este lugar é meu paraíso, é aqui que quero estar”). No mesmo filme, Bridgit fez a voz de Appoline, uma poodle.

Mas, em 2010, nada disso teve tanto destaque quanto a estreia de Bridgit como protagonista numa série do Disney Channel. Era “Boa sorte, Charlie!“, programa em que a irmã mais velha de uma família de cinco pessoas grava um diário, em vídeo, para sua irmã caçula, dando conselhos que ela verá quando crescer. Para não perder o costume, ela cantou o tema de abertura, “Hang in there, baby”.

Sobre a personagem, Teddy Duncan, Bridgit descreveu: “É uma garota divertida. Acho que o legal dela é ser uma adolescente normal. Ela mora em Denver, Colorado. Ela é esperta e divertida, mas também é um pouco sem noção, algumas vezes. Eu me divirto com os momentos esquisitos dela. (…) Eu também sou meio sem noção. Houve um episódio em que a Teddy dançava mal, então teve de fazer umas danças meio malucas. Adoro danças malucas, então, foi bem divertido.

Além de conviver com os outros atores da série – a saber, Leigh Allyn-Baker (“Ela é tão legal, e também traz o bebê para o set, algumas vezes”), Eric Allan Kramer (“Cozinha muito bem”), Jason Dolley (“É muito inteligente, ótimo para montar quebra-cabeças, essas coisas”), Bradley Steven Perry (“Ele sabe todas as letras das músicas no rádio”) e a bebê Mia Talerico -, Bridgit encontrou em “Boa sorte, Charlie” o seu atual namorado, o ator e cantor Shane Harper, intérprete de Spencer, par romântico de Teddy na série. Bridgit nunca chegou a falar abertamente sobre o namoro, fazendo apenas algumas menções. Mas já gravou com Shane a canção “Wait for me”, do primeiro CD dele.

2011 começou com Bridgit gravando mais uma canção de sua autoria: “We can change the world”, música-tema da campanha “Amigos transformando o mundo“, bem como dos jogos originados a partir dessa campanha. Paralelamente, as gravações de “Boa sorte, Charlie” continuavam. Mas foi com um filme que a garota loira, que adorava matemática na escola (“Eu era daquelas nerds que faziam equações por diversão”), se consolidou como uma das grandes promessas da Disney.

Baseado num livro de Mark Peter Hughes, sobre cinco estudantes que iniciam uma banda enquanto estavam presos na detenção de uma escola, e usam-na para deixarem o anonimato de lado e fazerem se representar no colégio, “Lemonade Mouth” foi lançado em 15 de abril de 2011. Mais um sucesso. Como uma das protagonistas – Olivia White, vocalista da banda, estudante tímida e recolhida -, Bridgit ganhou mais destaque ainda, cantando várias músicas da trilha sonora do filme.

Nada mais natural para quem se identificava com a personagem: “Acho que Olivia, definitivamente, se parece comigo. Ambas adoramos música, fazer canções, cantar, essas coisas. Acho que, definitivamente, sou tímida como ela, algumas vezes. Não vivo com a minha avó, vivo com meus pais, mas acho que definitivamente temos similaridades em nossos interesses.

E, novamente, não impressiona que a Hollywood Records, gravadora da Disney, responsável pela estreia de várias estrelas do canal na carreira musical, tenha contratado Bridgit, no início de 2011. Rob Souriall, executivo da Walt Disney Records, parceira da HWR, elogiou a nova estrela: “Ela surgiu como uma nova estrela, e é a primeira a aparecer. Ela tem uma voz belíssima.

Voz que foi posta mais uma vez à prova: no final de 2011, Bridgit compôs e cantou “I’m gonna run to you”, música principal da trilha sonora de “Boa sorte, Charlie, é Natal”, filme da série. Sobre a música, ela comentou: “Eu a escrevi com Jamie Houston, e nos divertimos muito. Escrevemos algumas canções – experimentando músicas mais destinadas às férias, e mais apropriadas a filmes. Nós escolhemos esta, que fala sobre tentar encontrar alguém com quem você não está, e se reunir com ele.

2012 não começou diferente: ela dublou Arrietty, personagem principal de “The secret world of Arrietty“, animação japonesa. De quebra, ainda emplacou mais uma música numa trilha sonora: “Summertime”, que compusera havia alguns anos, mas que foi recuperada para o filme. Além disso, iniciou a terceira temporada de “Boa sorte, Charlie”.

E, finalmente, seu disco foi terminado, após quase um ano de gravações. Logo, o single “Ready or not” foi escolhido, sendo lançado em 3 de agosto. Tendo composto a música com Emanuel “Eman” Kiriakou e Evan “Kidd” Bogart, Bridgit explicou: “Eu queria escrever algo que fosse encorajador para as garotas. Eu mesma me considero o tipo de garota que fica sentada no canto, esperando que o mundo a note.

Pois bem, chegou a hora do mundo notar Bridgit Mendler. O trocadilho é antigo, mas cabe: prontos ou não, lá vem ela.